sexta-feira, setembro 17, 2021
Home Política Podemos descarta aderir a movimento de impeachment de Bolsonaro

Podemos descarta aderir a movimento de impeachment de Bolsonaro

Em reunião realizada na manhã desta quarta-feira, as bancadas do Podemos na Câmara e no Senado decidiram descartar a adesão do partido ao movimento pelo impeachment de Jair Bolsonaro, depois de avaliarem os “últimos acontecimentos” — os discursos do presidente com ameaças ao STF durante manifestações em Brasília e São Paulo.

A justificativa do partido é que a “abertura de uma nova crise política, em meio à pandemia do coronavírus, desemprego e crise econômica, só agravaria o sofrimento das camadas mais vulneráveis, que já vivem em situação de extrema dificuldade”.

Desde esta terça, partidos como o PSDB, PSD e Solidariedade têm sinalizado um possível apoio à abertura do impeachment contra Bolsonaro.

O posicionamento foi divulgado em nota oficial, assinada pela presidente da legenda, a deputada federal Renata Abreu, e pelos líderes do partido no Senado, Alvaro Dias, e na Câmara, Igor Timo.

O Podemos se declara como um partido independente, que vota a favor e contra o governo Bolsonaro. No texto, a legenda diz que se mantém fiel às suas bandeiras, “como o combate à corrupção e o fim do foro privilegiado, e vigilante pela preservação das instituições democráticas, rejeitando toda e qualquer bravata autoritária em todos os Poderes”.

O partido, que deve lançar Alvaro Dias como pré-candidato e não descarta ter o ex-juiz Sergio Moro como presidenciável para as eleições do ano que vem, defende um projeto de terceira via para o país em 2022.

“Portanto, o Podemos trabalha para solucionar os problemas da vida real do brasileiro e pacificar o País, e entende que disputas políticas devem ser resolvidas por meio das urnas, nas eleições de 2022”, conclui a nota.

- Advertisment -