sexta-feira, setembro 17, 2021
Home Investimentos Em discurso, Bolsonaro concentra ataque em Alexandre de Moraes e diz que...

Em discurso, Bolsonaro concentra ataque em Alexandre de Moraes e diz que Judiciário “pode sofrer aquilo que não queremos”

SÃO PAULO – Em discurso a apoiadores durante manifestações em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira (7) – feriado do Dia da Independência – que não aceitará que qualquer autoridade passe por cima da Constituição Federal.

O recado era direcionado ao ministro Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) que não foi nominalmente citado. O magistrado é relator do inquérito das Fake News e tem proferido decisões contrárias a aliados do mandatário.

“Nós não mais aceitaremos que qualquer autoridade, usando a força do poder, passe por cima da nossa Constituição. Não mais aceitaremos qualquer medida, qualquer ação ou qualquer sentença que venha de fora das quatro linhas da Constituição”, afirmou Bolsonaro do alto de um carro de som na Esplanada dos Ministérios.

“Nós também não podemos continuar aceitando que uma pessoa específica da região dos Três Poderes continue barbarizando a nossa população. Não podemos aceitar mais prisões políticas no nosso Brasil”, continuou.

Durante o breve discurso, Bolsonaro também fez uma ameaça velada, exigindo que o ministro Luiz Fux (também não citado nominalmente), presidente do Supremo Tribunal Federal, tome providências.

“Ou o chefe deste Poder enquadra o seu ou esse Poder pode sofrer aquilo que nós não queremos. Porque nós valorizamos, reconhecemos e sabemos o valor de cada Poder da República”, disse, sem entrar em detalhes.

Sob gritos de “fora, Alexandre” de apoiadores, concluiu: “Nós todos aqui, na Praça dos Três Poderes juramos respeitar a nossa Constituição. Quem age fora dela se enquadra ou pede para sair”.

mais informações em instantes

The post Em discurso, Bolsonaro concentra ataque em Alexandre de Moraes e diz que Judiciário “pode sofrer aquilo que não queremos” appeared first on InfoMoney.

- Advertisment -