sábado, fevereiro 27, 2021
Home Carreira É possível fazer uma transição de carreira para o mercado financeiro após...

É possível fazer uma transição de carreira para o mercado financeiro após os 50 anos?

Homem grisalho mexendo no celular, homem mais velho

Dúvida do leitor: Olá, Bianca Juliano. Sou leitor de suas matérias no InfoMoney. Li sua coluna sobre transição de carreira para o mercado financeiro.
Faz tempo que estou com planos de fazer isso, nem que seja para trabalhar por conta. Sou formado em economia pelo Mackenzie, porém nunca atuei na área. Desde jovem era também entusiasta de computadores e sempre atuei em TI. Acompanho o mercado financeiro, invisto em renda variável via home broker, etc. O principal problema: tenho 51 anos. Por sua experiência, você considera o fator idade um impeditivo?

Resposta de Bianca Juliano*:

Obrigada por enviar sua dúvida, muito legal seu perfil.

As carreiras que mais crescem no mercado financeiro são carreiras que requerem intensidade, como assessor de investimentos e operador de bolsa (ou broker).

Se você se propuser a transpirar no ritmo necessário, a idade não importa em nada, e digo mais, pode ajudar, e muito! Explico: pense em você e seus amigos, colegas de faculdade e em todo o núcleo de relacionamento que você criou quando era jovem. Qual era a maturidade financeira e a capacidade de “poupança” e de “investimentos” que vocês tinham nessa fase inicial de vida? Era maior ou menor do que hoje?

Avaliar e pensar sob esse ângulo, nos faz perceber que a maturidade e a capacidade investidora das pessoas só aumenta ao longo da vida. Esse racional mostra que você pode ter muitas vantagens ao iniciar a carreira após os 50 anos.

Vejo muitos casos de assessores em segunda ou terceira carreira na vida, dando muito certo na profissão, porque acionam, com muita intensidade e paixão, toda a sua base de relacionamento de uma vida inteira. E essa rede de contatos, por consequência, está muito mais apta, madura e pronta para investir melhor.

Tudo se soma na sua nova profissão, nada se perde. Portanto, esqueça a questão da idade, não se apegue a isso. Pessoalmente falando, eu comecei cedo e um dos meus maiores desafios foi passar confiabilidade para investidores, sendo tão jovem e mulher em um mercado em que, tradicionalmente, pessoas com cabelos brancos eram os grandes gerentes de banco com quem se falava sobre investimentos.

Quando falo que eu pegava roupas emprestadas no guarda-roupas da minha avó, muitas pessoas acham que é uma brincadeira, mas não é, e quem viveu comigo na época, sabe.

Melhores da Bolsa 2020
Cadastre-se gratuitamente para participar do encontro entre os CEOs das melhores empresas listadas na Bolsa e gestores de grandes fundos, entre os dias 24 e 26 de novembro:

Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

Ao ser assessor, você está tratando com um dos bens de maior valor das pessoas, e nesse caso, não me refiro ao dinheiro, mas, sim, à vida toda daquela pessoa, porque geralmente são valores acumulados ao longo de uma vida inteira de suor e trabalho que você vai cuidar por meio da sua profissão.

Assessoria de investimentos é um negócio de confiança, de técnicas financeiras e alocação, de gostar de pessoas, de suor, transpiração, ética, paixão e resiliência. Se você carregar essas características, será bem-sucedido, não importa a idade.

E para dar o primeiro passo na mudança, você pode procurar um curso que te ajude a relembrar o conteúdo que você viu lá no início da carreira em economia, mas que também te auxilie nas questões comportamentais da profissão, pois são aspectos que em uma transição farão muita diferença.

Existem cursos de formação completa, como alguns MBAs que se preocupam em ter na grade aulas de comunicação, obstinação, branding pessoal, autoliderança para performance, captação e prospecção de clientes, por exemplo, que são conteúdos pensados com base na prática da carreira e não estão nos livros.

Cito como exemplo um dos MBAs da Xpeed School, braço educacional do grupo XP Inc., o MBA de Investimentos e Private Banking, que prepara assessores de investimentos.

Meu ponto principal é: não foque apenas nas questões técnicas de investimentos, isso é importante sim, mas seu diferencial para o sucesso estará no comportamental, soft skills (habilidades socioemocionais) somadas às hard skills (habilidades técnicas). Basicamente o objetivo é fazer você sair pronto para ter sucesso profissionalmente no mercado.

Quer tirar alguma dúvida sobre carreira? Envie sua pergunta para o e-mail [email protected]. A próxima resposta dos nossos especialistas pode ser a sua!

*Bianca Juliano é formada em administração e é especialista em carreiras do mercado financeiro, educação online e processos de gestão e liderança. Sócia da XP Inc. e há 14 anos na companhia, estruturou processos de gestão e performance em toda a rede de distribuição B2B (entre empresas), fundou a área de gestão e performance de escritórios e hoje é responsável pela escola de MBAs do grupo, a Xpeed School Pro.

O lado desconhecido das opções: treinamento gratuito do InfoMoney ensina a transformar ativo em fonte recorrente de ganhos – assista!

The post É possível fazer uma transição de carreira para o mercado financeiro após os 50 anos? appeared first on InfoMoney.

- Advertisment -