sexta-feira, março 5, 2021
Home Carreira Covid-19 eleva disparidade de gênero em negociação salarial nos EUA

Covid-19 eleva disparidade de gênero em negociação salarial nos EUA

Mais mulheres do que homens disseram ter menos poder de barganha para pedir aumento salarial ou benefícios à luz da pandemia, um sinal de que o coronavírus pode ter aumentado a desigualdade de gênero na negociação salarial, segundo pesquisa da Moody’s Analytics e Morning Consult.

Mulheres de todas as raças e grupos de renda são menos propensas a negociar aumentos do que os homens, de acordo com a pesquisa das instituições com 5 mil adultos nos Estados Unidos em meados de setembro. Cerca de 15% das mulheres disseram estar mais dispostas a pedir aumentos devido ao impacto do vírus, em comparação com 20% dos homens.

A pandemia atingiu as perspectivas de trabalho para mulheres de maneira particularmente forte, pois perderam mais empregos do que os homens durante a primeira onda de coronavírus. E a expectativa é que demorem mais para retornar aos níveis de emprego anteriores à pandemia. Para mulheres que conseguiram permanecer na força de trabalho, o menor poder de barganha significa menor probabilidade de ganhos salariais, mesmo com a recuperação da economia.

“Um dos pilares fundamentais da economia é a concorrência livre e justa para impulsionar os preços, incluindo o custo da mão de obra”, disse John Leer, economista da Morning Consult. “Simplesmente não está acontecendo.”

A falta de poder de barganha de mulheres na negociação salarial contribui para o crescimento lento dos salários e, em última instância, “atuará como um obstáculo para os gastos do consumidor e outras medidas de estabilidade financeira”, disse Leer.

Trabalhadores que perderam renda – mas mantiveram seus empregos ou encontraram um novo durante a pandemia – se mostraram mais relutantes em negociar. Cerca de 31% desses trabalhadores disseram que estavam menos dispostos a pedir aumento de salário ou benefícios, em comparação com 18% dos trabalhadores que não perderam renda durante a pandemia.

Homens, trabalhadores mais jovens entre 18 e 44 anos e profissionais com pós-graduação se sentiam mais confortáveis para negociar e tinham mais sucesso ao fazê-lo, segundo a pesquisa. Trabalhadores negros de setores essenciais relataram índices mais altos de conforto e sucesso em pedir aumento do que seus colegas brancos e hispano-americanos, embora os pesquisadores não tenham explicação prontamente disponível.

É possível operar com apenas R$ 25? Analista mostra como fazer primeiro trade, bater metas de ganhos diários e controlar riscos. Inscreva-se de graça!

The post Covid-19 eleva disparidade de gênero em negociação salarial nos EUA appeared first on InfoMoney.

- Advertisment -