sexta-feira, abril 23, 2021
Home Brasil Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quarta-feira

Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quarta-feira

SÃO PAULO – O último pregão de março e do primeiro trimestre deve ser marcado pela repercussão do pacote de infraestrutura de US$ 3 trilhões de Joe Biden, presidente dos EUA, a ser divulgado nesta quarta-feira (31), além dos dados de criação de emprego no setor privado no país.

Já no Brasil, após o Ibovespa repercutir positivamente os dados do Caged e da reforma ministerial, com a expectativa de que, ao dar mais espaço ao Centrão, o governo poderá melhor a relação com o Legislativo, os investidores ficam de olho nos dados da PNAD Contínua e seguem atentos nas discussões sobre o Orçamento de 2021. Confira no que ficar de olho:

1.Bolsas mundiais

Os índices futuros americanos têm desempenho misto entre si nesta quarta (31), e as bolsas europeias ficam  estáveis, à espera de mais dados sobre o pacote de investimentos em infraestrutura da gestão de Joe Biden, nos Estados Unidos. As bolsas asiáticas fecharam em baixa na sua maioria.

Na terça (30), os principais índices americanos sofreram pressão da alta do rendimento de títulos do Tesouro com vencimento em dez anos, que chegaram ao ponto mais elevado em 14 meses, de 1,77%.

A alta do rendimento desses títulos movimenta o mercado porque pode encarecer a tomada de empréstimos com vencimento mais longo, em especial de empresas de tecnologia. Também pode fazer com que investidores migrem do mercado de ações para o de títulos, visto como mais seguro por ser garantido pelo governo, que tem o poder de criar impostos para cobrir gastos.

A alta dos rendimentos ocorre em antecipação à divulgação de mais detalhes sobre o plano de infraestrutura do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que pode elevar a perspectiva de inflação e crescimento da economia. O pacote pode custar mais de US$ 3 trilhões.

Além disso, são esperados nesta quarta dados sobre folha de pagamento no país, que devem trazer novos sinais sobre a saúde da economia dos Estados Unidos.

O ritmo de vacinação também tem se acelerado nos Estados Unidos, o que também impulsiona a perspectiva de recuperação econômica e inflação. O Centro para Controle e Prevenção de Doenças reportou que mais de 3 milhões de doses foram administradas no país em três dias seguidos. Até segunda-feira (29), 43,6% da população dos Estados Unidos havia sido vacinada, de acordo com dados oficiais sistematizados pelo site Our World in Data.

Em paralelo, no entanto, o número de casos de Covid também tem aumentado em um ritmo preocupante, com mais de 63 mil infecções diárias, segundo dados sistematizados pela Universidade Johns Hopkins.

Leia mais: Pacote de US$ 3 tri de Biden será ajuda ou risco? Confira o que esperar do plano que será anunciado nesta quarta nos EUA

As bolsas asiáticas fecharam em baixa em sua maior parte nesta quarta, apesar dos dados oficiais indicarem crescimento da atividade de fábricas na China em março.

O índice oficial PMI (sigla em inglês para índice do gerente de compras) do país marcou 51,9 pontos, de acordo com a Agência Nacional de Estatísticas, acima da expectativa de 51 pontos de analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters. Em fevereiro, o índice havia marcado 50,6 pontos.

As ações do Mitsubishi UFJ Financial Group caíram 3,87% na quarta, após o braço de corretagem da empresa indicar perdas potenciais de cerca de US$ 300 milhões, devido a um evento em sua subsidiária europeia relacionado a um cliente cujo nome não foi revelado.

A informação foi divulgada após o fundo de hedge Archegos Capital Management liquidar várias de suas posições em empresas de mídia e internet na semana passada. Na segunda, tanto o banco suíço Credit Suisse quanto o banco de investimentos japonês Nomura anunciaram que tiveram perdas “significativas”. Eles não mencionaram o nome da Archegos Capital, para o qual ambos atuam, no entanto, como corretores.

Na Coreia do Sul, a fabricante de carros Hyundai perdeu 0,68%, após anunciar que vai suspender temporariamente a produção em sua fábrica principal, na cidade sul coreana de Ulsan, entre 7 e 14 de abril. A empresa atribui a suspensão à falta de suprimentos de semicondutores.

As bolsas europeias ficam estáveis, com o índice Eurostoxx, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, subindo 0,12%. Empresas do setor de telecomunicação avançam 0,6%, enquanto bancos recuam 0,3%.

Nesta quarta, investidores acompanharam a divulgação de dados de inflação da Zona do Euro relativos a março, e dados sobre desemprego na Alemanha. A Eurostat informou que a inflação foi de avanço de 0,9% em fevereiro para alta de 1,3% em março. O desemprego na Alemanha também caiu em março: o número total de pessoas desempregadas em termos ajustados sazonalmente diminuiu em 8 mil, para 2,745 milhões.

Além disso, na próxima quinta, a Opep (Organização dos Países Produtores de Petróleo) e aliados, um grupo conhecido como Opep+, se reúne, após um mês de volatilidade em preços de petróleo, e em meio a preocupações sobre os efeitos de medidas de lockdown na Europa.

Veja o desempenho dos principais indicadores às 7h30 (horário de Brasília):
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,03%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,4%
*Dow Jones Futuro (EUA), -0,09%
Europa
*Dax (Alemanha), +0,05%
*FTSE 100 (Reino Unido), -0,27%
*CAC 40 (França), -0,15%
*FTSE MIB (Itália), +0,47%
Ásia
*Nikkei (Japão), -0,86% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -0,7% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -0,28% (fechado)
*Shanghai SE (China), -0,43% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, -0,45%, a US$ 60,31 o barril
*Petróleo Brent, -0,41%, a US$ 63,87 o barril
*Bitcoin, -0,93%, a US$ 57.797,97
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 1,42%, cotados a 1079,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 164,72 (nas últimas 24 horas).

2. Agenda

Às 8h, a Associação de Banqueiros Hipotecários dos Estados Unidos divulga dados sobre solicitações de empréstimos hipotecários no país. Às 9h15 são divulgados dados sobre variação de emprego privado nos Estados Unidos em março. A estimativa, segundo projeção da Refinitiv, é de criação de 550 mil vagas, ante 117 mil vagas em fevereiro.

Às 10h45 é divulgado o índice do gerente de compras de Chicago, relativo a março nos Estados Unidos. Às 11h são divulgados dados sobre vendas de casas pendentes nos Estados Unidos.

Ainda no radar dos mercados, Janet Yellen, secretária do Tesouro, participa de evento do Conselho de Estabilidade Financeira às 16h. Já Joe Biden divulga pacote de investimentos às 17h20.

Às 9h, é divulgada a taxa de desemprego nacional no Brasil, pela PNAD Contínua divulgada pelo IBGE. Segundo análise feita pelo professor da Fipecafi, Jhonatan Hoff, a taxa deve ficar estável ou apresentar leve recuo. Isso significa que a Pnad pode ficar entre 13% e 14%, o que representa uma população desocupada que gira em torno de 13 e 14 milhões de pessoas.

Para Hoff, no curto prazo o mercado de trabalho ainda deve apresentar altas taxas de desemprego. “É grande a probabilidade que a parte da população que se encontrava em situação de desemprego no terceiro e quarto trimestre de 2020 continuará à procura de um posto de trabalho no início de 2021. Ou seja, as altas taxas de desemprego registradas em 2020 não serão revertidas em um curto espaço de tempo, especialmente em um cenário no qual prevalece a escassez de ações por parte do governo que buscassem frear os altos níveis de desemprego ou o avanço da pandemia”, destacou.

Às 9h30 são divulgados os resultados primário e nominal do setor público consolidado e a relação entre dívida e PIB em fevereiro no Brasil.

3. Novo recorde de mortes por Covid

O Brasil voltou a bater seu recorde de mortes por Covid em 24 h, com 3.668 casos. Além disso, pelo quinto dia seguido, o Brasil bateu o seu recorde de mortes por Covid na média móvel de sete dias, com 2.728 casos, alta de 34% frente à média de 14 dias atrás.

As informações são do consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias estaduais de Saúde no Brasil, que divulgou, às 20h de segunda, o avanço da pandemia em 24 h. A média móvel de novos casos em sete dias foi de 75.340, alta de 7% em relação ao patamar de 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 86.740 casos.

16.937.084 pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a covid no Brasil, o equivalente a 8% da população. A segunda dose foi aplicada em 4.946.579 pessoas, ou 2,34% da população. Analistas vêm apontando a velocidade da imunização como um dos fatores a influenciarem a retomada da economia.

Em São Paulo, o Cemitério Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte, suspendeu novos enterros após o aumento da demanda, devido a falta de sepulturas, reporta o portal G1. Com o aumento do número de mortos, a gestão municipal estendeu os horários de funcionamento de quatro cemitérios, permitindo a realização de enterros noturnos.

Segundo o jornal Valor Econômico, a propagação da variante brasileira do coronavírus, chamada de P.1, tem contribuído para acelerar a onda de novos casos da doença na América do Sul, o que tem levado países vizinhos a aumentar as restrições para a entrada de brasileiros. Uruguai, Argentina, Colômbia e Paraguai já identificaram a cepa.

Na terça, o cardiologista Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, fez duas reuniões virtuais com o embaixador dos Estados Unidos, Todd Chapman, e em seguida com Anthony Fauci, médico-chefe da Casa Branca e diretor do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas. Nelas, Queiroga pediu a antecipação de 20 milhões de doses da vacina da Pfizer que seriam devolvidas aos americanos no futuro. Com a proposta, ele pretende antecipar a vacinação no Brasil. De acordo com o ministério, Queiroga também falou sobre a possibilidade de estabelecer uma parceria para comprar medicamentos, insumos e oxigênio.

Chapman também se reuniu com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), em encontro capitaneado pelo senador Roberto Rocha (PSDB-MA). Há semanas, Pacheco e outros senadores vêm realizando uma espécie de diplomacia paralela com organismos internacionais e autoridades do Brasil e da China.

Em entrevista ao jornal Valor, Pacheco relatou que: “O embaixador informou que os Estados Unidos avançaram significativamente na vacinação e que, em breve, discutirão a possibilidade de fornecer aos brasileiros o excedente de vacinas, além de insumos e equipamentos hospitalares”. O presidente do Senado deverá levar a sinalização para a reunião do comitê de crise anti-covid, criado recentemente pelo governo visando tratar de um alinhamento, entre os três Poderes, no combate à pandemia.

O governo federal editou na terça medida provisória com abertura de crédito extraordinário de R$ 5,3 bilhões a ser destinado ao Ministério da Saúde para ações de combate à pandemia de Covid-19, incluindo abertura de leitos hospitalares e aquisição de insumos e equipamentos. O governo informou que os recursos serão destinados ao Fundo Nacional de Saúde, à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e ao Grupo Hospitalar Conceição, localizado no Rio Grande do Sul e vinculado ao Ministério da Saúde.

Para o Grupo Hospitalar Conceição, que tem enfrentado uma alta demanda de pacientes de Covid-19 e sobrecarga da capacidade de atendimento, os recursos serão destinados à expansão de leitos, englobando medicamentos, insumos, equipamentos de proteção individual, testes e exames para diagnósticos, entre outros itens.

No caso da Fiocruz, o investimento visa colocar em funcionamento 173 leitos do Centro Hospitalar para a Pandemia de Covid-19, além da disponibilização de testes diagnósticos e outras despesas atreladas ao combate à nova doença, como apoio a pesquisas clínicas em parceria com a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Além disso, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) deve aprovar nesta quarta o uso emergencial da vacina da Janssen contra a covid-19. O governo tem contrato com a farmacêutica para a compra de 16,9 milhões de doses.

4. Radar político

Após o presidente Jair Bolsonaro pedir o cargo do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, como parte de uma reforma ministerial que envolveu seis pastas, os comandantes Edson Pujol, do Exército, Ilques Barbosa, da Marinha, e Moretti Bermudez, da Aeronáutica, também deixaram os cargos na terça.

Segundo o jornal Valor, as mudanças deixaram até mesmo aliados receosos, gerando manifestações reiterando a necessidade de respeito à democracia. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, afirmou: “Esta presidência acredita que não há nem a mínima iminência de qualquer risco de rompimento. Mas se houver, cabe a esta Presidência do Senado reagir”
O novo ministro da Defesa, Walter Braga Netto, divulgou na terça o texto “Ordem do Dia Alusiva ao 31 de Março de 1964” em que enaltece o papel de “pacificar o país” realizado pelas Forças Armadas naquele ano, quando os militares foram protagonistas do golpe de Estado que derrubou o governo constitucional do presidente João Goulart.

O texto de estreia de Braga Netto, que é general da reserva, enaltecendo as conquistas do golpe de 1964 ocorre em meio a temores de que sua ida para a pasta, assim como a saída dos atuais comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica, seja uma manobra do presidente Jair Bolsonaro para ampliar a politização e sua influência nas Forças Armadas.

“A Guerra Fria envolveu a América Latina, trazendo ao Brasil um cenário de inseguranças com grave instabilidade política, social e econômica. Havia ameaça real à paz e à democracia”, diz Braga Netto na Ordem do Dia. “As Forças Armadas acabaram assumindo a responsabilidade de pacificar o país, enfrentando os desgastes para reorganizá-lo e garantir as liberdades democráticas que hoje desfrutamos.”

Além disso, na terça o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco afirmou que o Congresso está aberto a discutir com o governo eventuais correções ao Orçamento de 2021, que vem sendo alvo do Tribunal de Contas da União e da oposição por não se adequar às regras fiscais. De última hora antes da aprovação, parlamentares ampliaram os gastos destinados a emendas para obras em seus redutos eleitorais, e reduziram gastos obrigatórios. Por isso, o Orçamento vem sendo chamado de fictício.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, as manobras no Orçamento e a ameaça ao respeito ao teto de gastos geraram um clima de revolta no Ministério da Economia que faz com que membros da cúpula ameacem deixar a pasta em debandada. Segundo um auxiliar de Guedes ouvido pelo jornal, o ministro afirmou sobre a possibilidade a colegas e a Bolsonaro, a quem caberá a decisão final do governo sobre como lidar com o Orçamento.

Para que o teto não seja rompido, pode ser necessário realizar um corte de gastos que paralisaria a máquina pública. Assim, parlamentares e ministros da área de infraestrutura podem precisar desistir de alguns projetos.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu na terça a importância de os acordos políticos respeitarem as limitações fiscais e criticou o fato de o Congresso ter retirado da PEC Emergencial cláusula que previa a possibilidade do acionamento de regras mais flexíveis para as despesas públicas com a decretação do estado de calamidade pública apenas a partir do ano que vem.

“Nosso apelo final é justamente que os acordos políticos têm que caber nos orçamentos públicos. A essência da política é fazer a alocação de recursos. Nosso compromisso é com a saúde e com a responsabilidade fiscal”, disse Guedes durante live para comentar os dados do emprego formal.

O ministro ressaltou que, com a economia gerada pelo congelamento dos salários dos servidores públicos por dois anos, o governo já têm hoje condições de lidar com o que chamou de “cauda da pandemia”.

“É importante essa interação frequente do Congresso com a Economia para nós fazermos exatamente a coisa certa do ponto de vista político, que é o combate a essa cauda de pandemia e também dentro do compromisso com a responsabilidade fiscal, para não desorganizar a economia”, disse Guedes.

Na terça, o senador Pacheco também informou que já avalia com o presidente da Câmara, Arthur Lira, (PP-AL), uma prorrogação por 30 dias dos trabalhos da comissão mista que discute a reforma tributária, cujo prazo se encerraria nesta quarta-feira.

5. Radar corporativo

No radar corporativo, a Raia Drogasil anunciou na terça-feira um novo acordo de acionistas, válido a partir de novembro, com prazo de 10 anos e proposta de mudanças no conselho de administração. A maior rede de farmácias do país afirmou em comunicado que o novo acordo, que entra em vigor em 10 de novembro, “reforça o compromisso de longo prazo das famílias Galvão, Pires Oliveira Dias e Pipponzi”, que em conjunto têm 28,3% da companhia.

O acordo também marca “encerramento do ciclo dos acionistas Guilherme Leal, Luiz Seabra e Pedro Passos como membros do grupo de controle da RD, os quais seguem como acionistas mesmo após o vencimento do acordo atualmente em vigor”. Segundo a companhia, o novo acordo tem como objetivo melhorar a governança e preparar a empresa para a estratégia de negócios que incorpora uma série de elementos do varejo online e da telemedicina, que foram impulsionados pelas medidas de isolamento social no país.

Já a  CCR comunicou que sua controlada ViaMobilidade, concessionária das linhas Lilás (5) e Ouro (17) do Metrô de São Paulo, celebrou termo aditivo com o Governo do Estado que estabelece a possibilidade de se atribuir à empresa a responsabilidade pela elaboração dos estudos e execução dos futuros investimentos relacionados à implantação, de forma integral, de trechos de expansão das duas linhas. Segundo a CCR, as condições serão acordadas com o Estado em termo aditivo próprio, inclusive no que concerne ao reequilíbrio econômico financeiro da concessão. O extrato do termo assinado hoje será publicado no Diário Oficial do Estado.

A Oi anunciou ter concluído a alienação das torres móveis (UPI) à Highline do Brasil, vencedora do leilão realizado em 26 de novembro do ano passado.

A Cosan confirmou na terça que está, em conjunto com a Shell, contratando consultores para iniciar os preparativos de uma eventual oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Raízen, joint venture das companhias brasileira e anglo-holandesa nos setores de açúcar, etanol, bioenergia e distribuição de combustíveis. Em comunicado ao mercado, a Cosan afirmou que os acionistas controladores da Raízen estão “constantemente analisando” a listagem da empresa, mas que nem todas as decisões sobre a estrutura da oferta foram tomadas até o momento.

Ainda em destaque, Qualicorp, Centauro, Enjoei, Priner, Cruzeiro do Sul divulgaram seus resultados do quarto trimestre de 2020. Cogna divulga seus números antes da abertura do mercado.

Quer descobrir como é possível multiplicar seu capital no mercado de Opções? O analista Fernando Góes te mostra como na Semana 3×1, evento online e 100% gratuito. Clique aqui para assistir.

The post Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta quarta-feira appeared first on InfoMoney.

- Advertisment -