quarta-feira, abril 14, 2021
Home Brasil BC quis quebrar trajetória unidirecional do câmbio, diz Kawall

BC quis quebrar trajetória unidirecional do câmbio, diz Kawall

(Bloomberg) — O Banco Central ampliou as intervenções no câmbio para interromper o movimento unidirecional de alta do dólar, diz Carlos Kawall, diretor da Asa Investments e ex-secretário do Tesouro Nacional.

Segundo ele, a autoridade monetária interpretou que o câmbio estava disfuncional, movimento que pode ter sido causado pela busca de proteção para as apostas na alta da bolsa.

“Claro que tem questões de fundamento, incerteza fiscal, mas o fato é que estava indo quase que numa trajetória solo frente aos outros emergentes e ele decidiu quebrar a dinâmica atuando de forma mais incisiva.”

O Banco Central mudou sua estratégia de atuação no câmbio na semana passada, após moeda superar R$ 5,80, com a piora da percepção de risco sobre o país.

Desde então, o BC passou a fazer leilões de swap cambial e à vista mesmo quando o dólar registrava queda. A autoridade monetária vendeu o equivalente a US$ 3,155 bilhões em três dias de atuação na semana passada.

O dólar acumulava alta de cerca de 12% no ano até o dia 9 de março, véspera da nova atuação do BC, no pior desempenho em uma cesta de 24 moedas emergentes. Em contrapartida, desde então o dólar caiu cerca de 3%.

Analistas enxergaram uma preocupação do BC com o nível elevado do câmbio, e não apenas com a volatilidade, como a autoridade monetária apontava até então. Além disso, o dólar alto também pressiona a inflação, com reflexos sobre a taxa de juros.

Kawall não acredita que o objetivo das intervenções esteja ligado à política monetária. Segundo ele, o Banco Central poderá dar explicações sobre a nova estratégia após passar o período de silêncio que antecede a decisão do Copom na quarta-feira.

Ele estima que o BC iniciará um ciclo de alta da Selic já nesta semana, com elevação de 0,50 ponto percentual, para 2,5%, em decisão “bastante complexa”. Se por um lado a inflação subiu, por outro o agravamento da pandemia de coronavírus prejudica a atividade.

“O BC está colhendo o pior dos mundos. Alta da inflação com sinais de arrefecimento da atividade que deve continuar no segundo trimestre.”

Tentação populista

Kawall prevê que as próximas semanas serão turbulentas, com a piora da pandemia e manutenção do prêmio de risco do país elevado.

Recentemente, o avanço do dólar foi puxado pela troca de comando da Petrobras feita pelo presidente Jair Bolsonaro e pelas incertezas fiscais.

Também pesou a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, de anular as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tornando-o elegível em 2022.

“Isso mostrou a ideia do medo de que o governo atual exacerbe a tentação populista frente à necessidade de se contrapor eleitoralmente ao Lula”, afirmou.

Você ganhou um curso de ações 100% online e ao vivo. Durante 4 aulas, André Moraes explica como faria para lucrar na Bolsa de começasse hoje. Clique aqui para assistir!

The post BC quis quebrar trajetória unidirecional do câmbio, diz Kawall appeared first on InfoMoney.

- Advertisment -