segunda-feira, maio 10, 2021
Home Brasil Ações da Sabesp caem 6,5%, bancos sobem até 3% e CCR salta...

Ações da Sabesp caem 6,5%, bancos sobem até 3% e CCR salta 5%; Petrobras recua mesmo com alta do petróleo

SÃO PAULO – Em uma sessão marcada pelo início da nova carteira do Ibovespa com o Banco Inter (BIDI11, R$ 231,84, +0,06%) e Locaweb (LWSA3, R$ 28,05, -2,50%), quem se destacou no setor foi a ação de uma empresa que está fora do índice, o Méliuz (CASH3, R$ 36,49, +10,37%), com ganhos de mais de 10% nesta segunda-feira (3).

O Méliuz informou que assinou acordo de associação com a Acessopar, fintech especializada em soluções de pagamento e banking as a service. O acordo de associação prevê, entre outras avenças, a incorporação pelo Méliuz de 100% das ações de emissão da Acessopar, holding controladora da Acesso, em troca de novas ações de emissão do Méliuz. O valor da transação totaliza R$ 324,5 milhões, e tal montante está sujeito a ajustes de valor usuais em operações dessa natureza.

Voltando às empresas que pertencem ao índice, CCR (CCRO3, R$ 12,65, +5,07%) subiu, enquanto Ecorodovias (ECOR3, R$ 12,00, -0,25%) zerou os ganhos que chegaram a ser de 9,31%. O Governo de São Paulo e a concessionária Ecovias fecharam um acordo com previsão de investimento de R$ 1,1 bilhão em novos investimentos e a prorrogação da concessão do sistema de rodovias Anchieta Imigrantes.

O acordo, fechado na sexta-feira com a assinatura de um Termo Aditivo Modificativo, prevê o investimento em obras e melhorias no sistema e em toda a região da Baixada Santista, e o depósito de R$ 613 milhões em conta como garantia ao governo de São Paulo.

Seguindo o ânimo externo, os bancos registraram ganhos, com destaque para Bradesco (BBDC3, R$ 21,27, +2,90%; BBDC4, R$ 24,56, +2,98%), com ganhos de cerca de 3%. O Itaú (ITUB4, R$ 27,90, +1,40%) registrou alta de mais de 1%, antes da divulgação do resultado do primeiro trimestre de 2021, depois do fechamento.

Os papéis da Sabesp (SBSP3, R$ 40,00, -6,50%), por sua vez, caíram mais de 6%. A Sabesp informou que detém a opção de integrar a sociedade de propósito específico (SPE) detentora da concessão do bloco 2 da Cedae, com uma posição minoritária e sem custo para a Sabesp, exceto as capitalizações exigidas dos acionistas para fazer jus às obrigações da futura concessionária, caso a Sabesp venha a exercer a referida opção. A Iguá Saneamento foi a vencedora do leilão na última sexta-feira (30) para explorar o bloco 2 da concessão.

Já as ações da Petrobras (PETR3, R$ 23,01, -0,39%); PETR4, R$ 23,43, -0,80%) fecharam com perdas apesar da sessão de ganhos para o petróleo. Os contratos futuros da commodity foram impulsionados pela fraqueza do dólar e pelas perspectivas de recuperação da demanda global, mas a preocupação com o avanço da covid-19 na Índia, terceiro maior consumidor global de petróleo, preocupa o mercado, e limita os ganhos.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do WTI para junho avançou 1,43%, a US$ 64,49. O Brent para julho, por sua vez, subiu 1,20%, a US$ 67,56 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE). Indicadores da economia dos Estados Unidos contribuíram para o enfraquecimento do dólar. O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria dos EUA, elaborado pelo ISM, recuou a 60,7 em abril. Analistas previam que o dado ficasse em 65.

No radar da estatal, a companhia afirmou que recebeu com “estranheza” a convocação da greve dos trabalhadores nas plataformas da Bacia de Campos, na região Norte Fluminense. Os petroleiros iniciaram o movimento nesta segunda. Em comunicado divulgado na última sexta-feira, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) acusa a empresa de ser negligente com a saúde dos funcionários embarcados e expô-los à disseminação do coronavírus.

Confira os destaques:

BB Seguridade (BBSE3, R$ 22,27, -0,27%)

A BB Seguridade, braço de seguros e previdência do Banco do Brasil BBAS3, anunciou nesta segunda-feira que teve lucro líquido de R$ 977,06 milhões no primeiro trimestre, alta de 10,7% ante mesma etapa de 2020, beneficiada pela maior rentabilidade de suas aplicações.

A companhia explicou que a alta nos índices de inflação atualizaram os ativos de benefício definido do seu braço de previdência, Brasilprev, em ritmo superior aos dos passivos.

No conjunto, os prêmios emitidos pela unidade de seguros Brasilseg no trimestre cresceram 7,3% ano a ano, enquanto as reservas de previdência (PGBL e VGBL) da Brasilprev cresceram 6,4% em 12 meses, no ritmo esperado para o ano.

No entanto, o resultado operacional no período ainda ficou abaixo do crescimento projetado, de 8% a 13% para o ano, já que a companhia teve gastos maiores com pagamentos de indenizações, principalmente devido aos efeitos da pandemia de Covid-19, como por morte de segurados. Além disso, a companhia teve menores receitas de corretagem com bônus de performance na BB Corretora, devido à queda em prêmios de seguro prestamista.

A companhia previu que o avanço da vacinação nos próximos meses e a esperada redução de mortes por Covid-19 permitirão uma “retomada mais plena da atividade econômica, o que favorece a performance comercial e os indicadores de sinistralidade”.

A XP destaca que o lucro líquido veio abaixo das expectativas, versus R$ 1,113 bilhão das estimativas de consenso. O resultado foi impactado principalmente por: i) receita financeira, que ficou 57% abaixo na comparação anual, pressionada tanto pela política de menor taxa de juros quanto pela redução de capital via payout; e ii) Brasilseg, que apresentou resultado abaixo do esperado devido a maior sinistralidade.

Apesar do resultado abaixo, os analistas da XP mantêm recomendação de compra e preço-alvo de R$ 35, pois acreditam que a empresa atenderá às expectativas de um alto rendimento de dividendos e tem um valuation atraente.

Porto Seguro (PSSA3, R$ 49,78, +0,83%)

O lucro líquido recorrente da Porto Seguro teve alta de 49% na comparação anual, para R$ 296,6 milhões.

O resultado financeiro atingiu 193,7 milhões no trimestre, através de um retorno sobre as aplicações financeiras (ex-previdência) de 2,36% no período (equivalente a 488% do CDI no período).

Cielo (CIEL3, R$ 3,42, -0,09%)

A Cielo informou nesta segunda-feira que concluiu a montagem de fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC) de cerca de R$ 530 milhões em conjunto com o BNDESPAr, para ofertar crédito a micro, pequenas e médias empresas.

O fundo tem aportes do braço de participações do BNDES de até R$ 450 milhões em cotas sênior, sendo 200 milhões de imediato e o restante em chamadas de capital futuras. E a Cielo vai aportar R$ 79,4 milhões em cotas subordinadas, levando a um total de 529,4 milhões de reais, segundo fato relevante.

O fundo poderá liberar até R$ 200 mil para capital de giro por cliente, com custo efetivo total de até 3,5% ao mês, carência de 60 dias e prazo de até 30 meses. As operações de crédito serão depois compradas pelo fundo.

PetroRio (PRIO3, R$ 91,86, +0,31%)

O conselho da PetroRio anunciou na noite de sexta-feira uma operação de desdobramento de ações de um para cinco, conforme comunicado enviado ao mercado. De acordo com a empresa, cada ação passará a ser representada por cinco e serão emitidas novas ações, mas o capital social permanecerá o mesmo.

O objetivo do desdobramento, segundo a empresa, é aumentar a liquidez das ações e tornar os papéis acessíveis a um maior número de investidores.

As ações recém-divididas começarão a ser negociadas em 6 de maio, informou a PetroRio.

Cosan (CSAN3, R$ 90,90, +0,93%)

Acionistas da Cosan aprovaram em assembleia nesta sexta-feira o desdobramento das ações ordinárias de emissão da companhia, com cada ação passando a representar quatro, sem alteração no capital social, informou a companhia em fato relevante.

Desta forma, o caput do artigo 5º do Estatuto Social foi alterado para refletir o novo número de ações representativas de seu capital social, passando de 468.517.733 para 1.874.070.932 ações ordinárias, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal, disse a empresa.

A posição acionária a ser considerada para o desdobramento das ações ordinárias de emissão da companhia é a de 5 de maio de 2021. A partir de 6 de maio de 2021, as ações serão negociadas sem direito ao desdobramento.

“As ações resultantes do desdobramento serão creditadas aos acionistas em 11 de maio de 2021 e conferirão integralmente aos seus titulares os mesmos direitos das ações ordinárias existentes”, disse a Cosan.

“Vale ressaltar que os dividendos aprovados, nesta data, em AGOE levam em consideração a posição acionária em 5 de maio de 2021, anterior à concretização do desdobramento.”

Os direitos dos detentores de American Depositary Shares de emissão da Cosan (ADSs) permanecem inalterados em relação à posição acionária anterior.

Sabesp (SBSP3, R$ 40,00, -6,50%)

A Sabesp informou que detém a opção de integrar a sociedade de propósito específico (SPE) detentora da concessão do bloco 2 da Cedae, com uma posição minoritária e sem custo para a Sabesp, exceto as capitalizações exigidas dos acionistas para fazer jus às obrigações da futura concessionária, caso a
Sabesp venha a exercer a referida opção. A Iguá Saneamento foi a vencedora do leilão na última sexta-feira (30) para explorar o bloco 2 da concessão.

Méliuz (CASH3, R$ 36,49, +10,37%)

O Méliuz informou que assinou acordo de associação com a Acessopar, fintech especializada em soluções de pagamento e banking as a service. O acordo de associação prevê, entre outras avenças, a incorporação pela Méliuz de 100% das ações de emissão da Acessopar, holding controladora da Acesso, em troca de novas ações de emissão do Méliuz.

O valor da transação totaliza R$ 324,5 milhões, e tal montante está sujeito a ajustes de valor usuais em operações dessa natureza.

Os acionistas da Acesso vão ficar com cerca de 8% do Méliuz, que fechou sexta-feira valendo R$ 4,1 bilhões na B3.

Esse é o maior movimento da companhia de cashback para entrar em serviços financeiros. Com a compra, os clientes do Meliuz terão acesso a uma conta digital completa que vai servir de plataforma para a entrada em outros serviços financeiros (de empréstimos e investimentos até seguros).

Ecorodovias (ECOR3, R$ 12,00, -0,25%)

O Governo de São Paulo e a concessionária Ecovias fecharam um acordo com previsão de investimento de R$ 1,1 bilhão em novos investimentos e a prorrogação da concessão do sistema de rodovias Anchieta Imigrantes. O acordo, fechado na sexta-feira com a assinatura de um Termo Aditivo Modificativo, prevê o investimento em obras e melhorias no sistema e em toda a região da Baixada Santista, e o depósito de R$ 613 milhões em conta como garantia ao governo de São Paulo.

O termo inclui ainda o encerramento de disputas judiciais entre o governo do Estado e a empresa – entre elas ações que contestavam a prorrogação do contrato de concessão de maio de 2018 para março de 2024. O acordo acertado agora terá vigência até 2033.

Em nota divulgada pelo governo do Estado, o governador João Doria afirmou estar satisfeito com o resultado da conciliação, que permitirá mais investimentos da concessionária.

O Credit Suisse também alterou seu preço-alvo para a Ecorodovias de R$ 17,7 para R$ 15,5, frente aos R$ 12,03 negociados na sexta, após o fechamento de acordo da empresa com o governo do estado de São Paulo. Na visão do banco, o acordo adiciona R$ 3 por ação da empresa. O banco diz ver o acordo como positivo, já que materializa uma parte importante do valor da Ecorodovias. O banco diz também esperar uma boa recepção do acordo com a CCR.

O Bradesco BBI estima equivalente a R$ 4 por ação da Ecorodovias, com base na metodologia de margem de fluxo marginal de caixa. O resultado final ficou abaixo da estimativa do Bradesco, que mantém, uma avaliação outperform para a empresa, mas reduzindo o preço-alvo de R$ 20 para R$ 16, frente aos R$ 12,03 negociados na sexta, incorporando os termos finais da revisão contratual.

Lojas Americanas (LAME4, R$ 20,95, +0,43%) e da B2W (BTOW3, R$ 66,74, -0,86%)

A Ame Digital, fintech e plataforma mobile de negócios da Lojas Americanas e da B2W – Companhia Digital, comunicou a aquisição da Nexoos Holding, fintech que conecta pequenas e médias empresas (PMEs) com investidores.

Pão de Açúcar (PCAR3, R$ 40,11, -1,52%)

O GPA acertou uma parceria com o serviço de compras e delivery de mercado Cornershop, de olho em ampliar suas opções de entregas rápidas. Segundo o GPA, a parceria inclui 250 supermercados do grupo em todo o Brasil, e os clientes podem acessá-los tanto através da plataforma Cornershop quanto pelos apps da Uber e do Uber Eats, na opção “Mercado”.

Petrobras (PETR3, R$ 23,01, -0,39%); PETR4, R$ 23,43, -0,80%)

Os petroleiros que atuam na Bacia de Campos devem entrar em greve a partir de segunda-feira (3), após negociações com a Petrobras para a adoção de novas medidas de combate ao novo coronavírus terem falhado, informou em comunicado a Federação Única dos Petroleiros (FUP), na sexta-feira.

Os petroleiros querem a realização de testes de Covid-19 no meio e no fim da escala -atualmente a testagem é feita somente no embarque- teste para pessoal que está em terra e cumprimento de todas as recomendações do Ministério Público do Trabalho (MPT), como o uso de máscaras de proteção PFF2 para todos os trabalhadores.

Os trabalhadores alegam ainda que a petroleira adotou uma escala de mais de 14 dias nas plataformas, o que iria contra ao Acordo Coletivo de Trabalho.

A companhia aprovou novos modelos de venda de gás natural às distribuidoras e vai oferecer, além das modalidades indexadas ao petróleo tipo brent, uma alternativa de precificação com menor volatilidade, sem abrir mão do alinhamento com os preços externos, disse a empresa nesta segunda-feira.

De acordo com fato relevante, o novo modelo será indexado aos preços do Henry Hub, uma referência amplamente utilizada e que serve de benchmark para novos projetos de liquefação nos EUA. “A nova fórmula ainda será negociada com clientes, e não necessariamente implicará impactos materiais nos preços. Além disso, não haverá mudanças na parcela de transporte do preço do gás”, afirmou a estatal.

Eletrobras (ELET3, R$ 36,80, +0,03%; ELET6, R$ 37,08, +0,27%)

O conselho de administração da Eletrobras elegeu Rodrigo Limp como novo presidente da companhia, com posse prevista para 7 de maio, segundo comunicado da elétrica ao mercado.

Ânima (ANIM3, R$ 10,81, -0,09%)

A Ânima Holding  acertou contratos para compra da empresa mantenedora das Faculdades Milton Campos, na região metropolitana de Belo Horizonte, por R$ 57,1 milhões.

Atualmente as Faculdades Milton Campos possuem três cursos autorizados, com destaque para o curso de Direito, que possui 801 alunos do total de 1.082 estudantes. A receita líquida da Milton Campos em 2020 foi de R$ 20,6 milhões e margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi negativa em 1%, segundo a Ânima.

A Ânima vai pagar R$ 48 milhões do valor da transação no fechamento do negócio e o restante em quatro parcelas iguais.

AES Brasil (AESB3, R$ 15,04, +9,54%)

A AES Brasil anunciou nesta sexta-feira o novo diretor vice-presidente de Finanças e Relações com Investidores, Alessandro Gregori.

Braskem (BRKM5, R$ 50,04, -4,69%)

A Braskem informou nesta sexta-feira que as vendas de sua unidade no México recuaram 37% no primeiro trimestre sobre o mesmo período do ano passado e recuaram 27% ante os três últimos meses de 2020 afetadas em parte pela tempestade congelante que atingiu o hemisfério norte no início do ano.

A taxa de utilização das instalações da companhia no México despencou para 58% entre janeiro e março ante 86% no primeiro trimestre do ano passado. Mas mostrou melhora ante os 48% do quarto trimestre, quando a fornecedora local de matéria-prima para a companhia interrompeu suprimento de gás natural.

No Brasil, a companhia apurou alta de 8% nas vendas de resinas na comparação anual e queda de 5% na relação trimestral. Enquanto isso, as vendas de “principais químicos”, categoria que inclui produtos como eteno, propeno e butadieno, subiram 17% sobre o primeiro trimestre do ano passado mas caíram 3% na comparação com o fim de 2020.

No primeiro trimestre, as exportações de resinas da Braskem a partir do Brasil recuaram 41%. A empresa afirmou que isso deveu-se em função de seu foco de priorizar o atendimento do mercado brasileiro. Ante o quarto trimestre, as exportações de resinas caíram 15%.

Cabe destacar que a ação da Braskem caiu 7% na última sexta-feira; de acordo com o Brazil Journal, um banco sondou o mercado para aferir a sensibilidade de preço para um block trade de R$ 4 bilhões.

O tamanho da oferta coincide com a posição em Braskem PN que a Petrobras detém na companhia — e que está fora do acordo de acionistas com a Odebrecht e portanto livre para venda. A Petrobras tem 75,6 milhões de BRKM5 que, com o papel cotado a R$ 54, valem R$ 4 bilhões.  A queda foi agravada porque, no dia anterior, um fundo comprado em Braskem havia enviado um Whatsapp defendendo a tese de que o papel ainda está barato, apesar da alta de 130% este ano.

(com Reuters e Estadão Conteúdo)

Quer viver de renda? Estes 3 ativos podem construir uma carteira poderosa. Assista no curso gratuito Dominando a Renda Passiva.

The post Ações da Sabesp caem 6,5%, bancos sobem até 3% e CCR salta 5%; Petrobras recua mesmo com alta do petróleo appeared first on InfoMoney.

- Advertisment -