terça-feira, maio 24, 2022
spot_img
HomePolíticaBolsonaro defende postagem sobre inquérito sigiloso: ‘Todo mundo copiou’

Bolsonaro defende postagem sobre inquérito sigiloso: ‘Todo mundo copiou’

O presidente Jair Bolsonaro defendeu na noite desta quinta-feira, 12, as postagens que fez nas redes sociais em que divulgou dados sigilosos de um inquérito da Polícia Federal.

Na opinião do chefe do Planalto, as informações contidas na investigação interessam a todos, e apagá-las agora, como determinou o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes não surtiria efeito, uma vez que ‘todo mundo já copiou’: “O inquérito interessa para todos nós. Se interessa para todos nós, tem que ser público. Ia ficar escondido até quando, se eu não falo? Ia ficar escondido até quando esse inquérito lá dentro?”, questionou em sua tradicional live semanal nas redes sociais.

O inquérito sigiloso divulgado por Bolsonaro diz respeito a um ataque hacker sofrido pelo Tribunal Superior Eleitoral em 2018. O objetivo era dar suporte à sua tese de que houve fraude nas eleições de 2018, o que não foi possível provar com os documentos compartilhados. “O que nós queremos é agilidade, rapidez. Com todas essas informações que estão na minha página na internet, e Vossa Excelência Alexandre de Moraes mandou retirar agora… O pessoal já copiou, todo mundo já copiou. Eu tenho cópias aqui. Segredo de Justiça? O que estavam fazendo, não deixando esse inquérito ir para frente, é um crime contra a democracia”, disse Bolsonaro.

Voto impresso

Bolsonaro também voltou a atacar o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, ao chamar o ministro de ‘mentiroso’ e ‘tapado’ ao justificar a inviabilidade da mudança nas próximas eleições. “Ouvi há pouco na Jovem Pan uma declaração do ministro Barroso dizendo mais motivos para que não fosse oficializado o voto impresso no Brasil. Uma coisa chocou, porque pega muito mal um ministro do STF mentir, como Barroso, mentir como ele mentiu aqui agora, quando ele disse que, como as votações são feitas em escolas, realmente parte considerável, passariam 3, 4 semanas contando voto e as criancinhas não poderiam ficar 1 mês sem aula. Ministro, pega mal mentir dessa maneira ou então és um tapado que desconhece a enorme diferença em ler papel e escrito a mão. A apuração será feita pelos mesários ali na seção eleitoral. A média é de 400 votos por seção. E tem, em média, quatro pessoas por seção. Não teria dificuldade. E vem vossa excelência. Está achando que o povo brasileiro é o quê?”.

O presidente minimizou ainda a derrota da PEC do voto impresso, que foi rejeitada pela Câmara na última terça-feira. “Ganhou, mas não levou. Faltou quórum, regra do jogo. Paciência”, disse. PECs, como a do voto impresso, só são aprovadas se tiverem o apoio de ao menos 308 deputados em dois turnos. Quando o número não é atingido na primeira rodada, não é necessária nova votação. O texto recebeu 218 votos contrários enquanto outros 229 se manifestaram favoravelmente.

- Advertisment -spot_img