terça-feira, maio 24, 2022
spot_img
HomeEconomiaA montanha russa na bolsa chamada Lojas Americanas

A montanha russa na bolsa chamada Lojas Americanas

Os papéis das Lojas Americanas têm enfrentado uma verdadeira montanha russa na bolsa de valores no último mês. Primeiro, a companhia reportou a cisão dos ativos físicos e digitais da empresa com a B2W, e passou a atuar, em 19 de julho, em conjunto com a plataforma parceira. A primeira semana de operação foi desastrosa nos números e a ação despencou 15% em função das incertezas no macro e a expectativa de um resultado fraco — que se confirmou posteriormente. Na última quinta-feira, 12, porém, a Americanas anunciou a compra do hortifruti Natural da Terra por 2,1 bilhões e os papéis subiram 2,47%. Mas o balanço ruim do segundo trimestre do ano se concretizou e, nesta sexta-feira, a companhia registra a maior queda do dia no Ibovespa. Como interpretar?

O lucro líquido da Americanas foi de 225 milhões no trimestre, ante prejuízo de 36 milhões no mesmo período de 2020, mas o resultado só foi possível graças a um efeito não recorrente de 309 milhões referentes a créditos fiscais, ou seja, sem esses créditos, o prejuízo seria de 85 milhões. A XP Investimentos previa um prejuízo de 42 milhões para a companhia, pressionada pelo desempenho da fintech Ame Digital. Embora os analistas da corretora tenham se decepcionado com os números, eles veem como positiva a fusão operacional de negócios que totalizou um valor presente estimado de 1,6 bilhão de reais.

Os especialistas da XP ainda enxergam a empresa seguindo os passos da Amazon com a compra da Natural da Terra, num movimento que difere da estratégia de outras companhias que optam fazer parcerias com varejistas de alimentos apenas por meio de seus marketplaces. “Vemos a Americanas como um ecossistema robusto com diversas iniciativas sendo implementadas, buscando a melhora da experiência, recorrência e fidelização de seus clientes. Ainda, acreditamos que tanto a fusão como a aquisição do Hortifruti Natural da Terra devem destravar valor ao longo do tempo, com a companhia inclusive detalhando sinergias a serem capturadas em ambas frentes no seu resultado. Mantemos nossa recomendação de compra com preço alvo de 82 reais”.

Às 16h25, a companhia recuava 9,48% na bolsa, a um preço de 42,39 reais por ação. No ano, a queda é de 43,93%. Com a ação aparentemente barata, a empresa anunciou um programa de recompra de ações. 

- Advertisment -spot_img